Arquitetura Nacional
AN PRAÇA MUNICIPAL 47 (7).jpg

Praça Municipal 47

Residencial

PRAÇA MUNICIPAL 47

Uso Residencial
Localização Porto Alegre – RS
Ano de Projeto 2010
Área 1552m²
Status Obra Finalizada
Projeto Arquitetônico Eduardo Maurmann, Elen Balvedi Maurmann, Paula Otto e equipe Arquitetura Nacional
Estrutura Carpeggiani Engenharia
Elétrica Asolon Engenharia
Hidráulica Proinst Projetos e Instalações
Construção e Incorporação Construtora CSR Ltda.
Fotografias Marcelo Donadussi
Mobiliário Faro Design

O Edifício Praça Municipal 47 é um dos exemplos da transformação que vem ocorrendo no contexto onde o projeto está inserido: edificações residenciais de média altura ocupando o lugar de casas antigas e pequenos lotes. Com traçado viário orgânico e irregular, o entorno é caracterizado pelo grão urbano reduzido e o uso marcadamente residencial. O lote está localizado nas partes altas do bairro Cristo Redentor, com limitações de altura impostas pelo aeroporto da cidade.

O projeto parte de um volume prismático e elevado do térreo, configurado por uma placa envolvente aberta para frente e para os fundos do terreno. O declive natural do terreno acomoda o estacionamento no subsolo, o térreo é solto do corpo do edifício criando um acesso aberto e franco. A pequena praça semicoberta encaminha ao acesso através do jardim e convida a entrar no edifício em um hall recuado. Dois apartamentos por andar são dispostos simetricamente em relação à circulação vertical do edifício, totalizando 10 unidades. Os últimos possuem terraço na cobertura e se organizam em dois pavimentos. Os apartamentos de frente enxergam a planície ao norte com a paisagem do rio, enquanto os apartamentos de fundos veem os morros e a paisagem urbana do entorno.

Internamente, os apartamentos são setorizados por dois núcleos paralelos: social e íntimo. O setor social organiza o acesso, as salas de estar, jantar e cozinha num espaço único, emoldurado pela esquadria que vai do chão ao teto. A parede oposta aos dormitórios ganha espessura para acomodar a área de serviço, a churrasqueira e a bancada da cozinha, com aberturas menores para as laterais do terreno. As duas suítes estão dispostas lado a lado, sendo a menor delas com banheiro de acesso compartilhado à sala.

Na configuração das unidades duplex a sala está no primeiro pavimento e ganha o espaço antes compartilhado com outros usos. No segundo pavimento a cozinha e copa são conectadas ao terraço. As esquadrias de madeira em todo pé direito valorizam o espaço de estar, enquanto no dormitório principal ao lado, venezianas pivotantes de madeira, além de completar a composição da fachada, controlam a iluminação natural. A articulação entre venezianas e janelas de abertura total cria um jogo anunciado pelo movimento nas fachadas principais.