Arquitetura Nacional
10.jpg

Fernando Abbott 866

Residencial

FERNANDO ABBOTT 866

USO RESIDENCIAL
LOCALIZAÇÃO PORTO ALEGRE
ÁREA DO TERRENO 775m²
ÁREA CONSTRUÍDA 2115m² 
ANO DE PROJETO 2010
ANO DE CONCLUSÃO DA OBRA  2016
STATUS OBRA FINALIZADA

PROJETO ARQUITETÔNICO  EDUARDO L MAURMANN, ELEN B N MAURMANN, PAULA OTTO
E EQUIPE ARQUITETURA NACIONAL

PROJETOS COMPLEMENTARES 
ESTRUTURAL
CARPEGGIANI PROJETOS ESTRUTURAIS
HIDROSSANITÁRIO ASOLON ENGENHARIA
ELÉTRICO PROINST PROJETOS E INSTALAÇÕES
INCORPORAÇÃO CSR INCORPORAÇÕES

FOTOGRAFIA MARCELO DONADUSSI

 


O edifício está localizado em uma zona da cidade de Porto Alegre que enfrenta recentemente um processo de transição - as antigas casas dão lugar a edifícios de pequeno e médio porte, que servem como marco desta renovação. O terreno localiza-se em uma esquina, em um ponto bastante alto do bairro, tendo um desnível de 7m em seu comprimento e possui uma vista muito interessante da cidade e do aeroporto. Porém, por estar em uma cota alta da cidade, sofre forte influência dos limitadores de altura das edificações.
A vista privilegiada – aos fundos do terreno - foi ponto de partida para a disposição dos apartamentos: todas as unidades se voltam ao famoso pôr do sol porto alegrense. Como não havia a possibilidade de encaixe de dois apartamentos linearmente por andar (voltados para a vista) optou-se também pelo uso de apartamentos duplex. Assim, a cada dois andares, dois apartamentos são lineares e um duplex. Esse deslizamento dos volumes habitacionais quebra a monotonia da altura de nove pavimentos. 

O conceito do projeto busca a individualidade de cada unidade habitacional através da ideia de casas empilhadas, que fica bastante evidente na volumetria – cada apartamento é facilmente identificado na fachada. As diferentes tipologias de apartamentos refletem os diferentes jeitos de morar dos usuários: os apartamentos duplex possuem 89m² e tem as áreas sociais e íntimas bem separadas, enquanto os apartamentos de configuração linear possuem 87m² e buscam uma maior integração entre os dois programas. O apartamento duplex do térreo possui um pátio bastante generoso e o apartamento de cobertura ocupa todo o andar.

Ao destacar os volumes dos apartamentos a estrutura cria uma moldura ao redor de cada volume, onde as janelas tem maior liberdade para sua disposição de forma aleatória nas fachadas laterais. Já na fachada dos fundos, voltada à vista, as janelas se abrem ao máximo. Com esta implantação, o volume de circulação e serviço fica na frente do prédio, mais fechado, aumentando a privacidade.