Arquitetura Nacional
md2018_02_16-093554.jpg

Fênix

INTERIORES

fênix
 

USO COMERCIAL
LOCALIZAÇÃO PORTO ALEGRE - RS
ÁREA DO TERRENO 620m²
ÁREA DO PROJETO 700
ANO DE PROJETO 2017
ANO DE CONCLUSÃO 2018
STATUS OBRA FINALIZADA


PROJETO ARQUITETÔNICO  EDUARDO L MAURMANN, ELEN B N MAURMANN, PAULA OTTO (sócios),
SAMUEL DALL ALBA
E EQUIPE ARQUITETURA NACIONAL  

FORNECEDORES
MARCENARIA
SENSOLO
SERRALHERIA LF PARTHENON
REVESTIMENTOS ELIANE
MOBILIÁRIO ROAL
DEGRAUS EM CONCRETO MUBE DESIGN
PEDRAS ML POLIDORA
DIVISÓRIAS LEVES IMEJACE

FOTOGRAFIA MARCELO DONADUSSI

 

 

O projeto surge da necessidade de uma nova sede para um curso pré-vestibular em Porto Alegre.  A edificação escolhida pelos clientes apresentava algumas características determinantes para as estratégias de projeto: três pavimentos de planta livre, pátio privativo e visuais para massas de vegetação. O projeto de arquitetura busca a máxima integração entre os estudantes através de grandes zonas de estar e arquibancadas que se moldam ao percurso da sede. No térreo estão as áreas de atendimento, recepção, salas de estudo, administração e áreas de convivência. As salas privativas com o formato lúdico de pequenas casas servem tanto para atendimento de pais e alunos quanto para estudos de pequenos grupos. Seu formato descontraído e sua escala propiciam uma experiência de imersão e aconchego numa tentativa de afastar os alunos do universo competitivo da preparação ao vestibular.  Adiante, uma extensa arquibancada se desdobra do interior da edificação ao pátio dos fundos, dando suporte a estudos informais, encontro de alunos e rodadas abertas de discussão. Em frente à arquibancada, a diferenciação do material do piso marca o espaço do palco para pequenas palestras e eventos.

Dois containers acoplados ao edifício trazem dois novos usos à área externa: o container azul tem uma longa bancada para estudos e leitura e o container preto abriga a lanchonete. Os degraus soltos de concreto transformam as arquibancadas em escadas, possibilitando o acesso ao container suspenso no exterior e à administração no interior da edificação.

Nos pavimentos superiores estão as salas de aula. Cada andar abriga três salas e no segundo pavimento duas delas podem ser conjugadas formando um auditório para 120 pessoas. As cadeiras niveladas e os grandes planos de lousa horizontalizam a relação do professor com o aluno. A utilização do forro em placas de OSB além de garantir o conforto acústico também arremata a solução do uso de lâmpadas tubulares, criando rasgos de luz intercalados.

Em contraponto à frieza e amplitude da edificação original, o uso da madeira traz conforto e informalidade ao ambiente, além de aproximar o usuário de uma escala mais humana. O tom claro do compensado naval é mesclado com o azul da marca que está presente desde detalhes da marcenaria até o container suspenso aos fundos do terreno. O caráter nórdico conferido pela paleta principal recebe um toque de brasilidade com o uso da vegetação tropical e dialoga com o aspecto industrial das chapas expandidas, do concreto e dos containers. O uso de ângulos nos detalhes do projeto traz dinamismo e movimento aos espaços de convivência.

A iluminação é protagonista na formação do caráter do projeto. O uso de tubulares de LED em variadas paginações cria espaços e direciona fluxos. O encaminhamento e a fluidez da arquibancada são reforçados pela iluminação: as setas, alinhadas ao eixo de circulação, direcionam o fluxo principal à zona de convivência que é o coração do projeto. Nas circulações dos andares superiores a paginação das luminárias traz dinamicidade à passagem enquanto que nos banheiros e na administração ajudam a configurar o limite de espaços.